EQUITAÇÃO

Quando Manuel Jorge monta, não o faz obrigatoriamente através de lições ou exercícios, procura fazer o ?ajuste? ao milímetro a cada parte do corpo do cavalo. A sua equitação não se debruça no facto de um cavalo fazer ou não uma Espádua a Dentro, um Ladear de cabeça ao muro ou de garupa ao muro, um Piaffe ou uma Passage. Trata-se sim, de dar forma ao corpo do cavalo, a cada minuto de trabalho. O cavalo e o cavaleiro formam uma incomparável unidade, desenvolvida pelo equilíbrio.

Os seus cavalos são caracterizados por uma mobilidade sensacional e capacidades desenvolvidas em arena, movem-se tão livremente que nos remetem à imagem de um centauro.

A filosofia de Manuel Jorge não se baseia em qualquer tipo de metodologia, mas sim na espiritualidade.

FILOSOFIA

Galeria